Uchôa de Mendonça: As cidades sitiadas

25 de maio de 2016
NOTA– Você vai ler um comentário independente, sem enganos, sem mentiras. Se você entender que não deva prosseguir com sua leitura, delete-o. Nunca suporte o que não gosta. Se não ler, vai perder a oportunidade de conhecer a verdade.


Pode ser que sim. Será muito difícil o Brasil dar certo. Sempre seremos o país de quinta classe, mais burro do que inteligente. 


Vejam que tem um grupo de inconseqüentes políticos no poder pilhando os cofres públicos, aniquilando a economia, destruindo os sentimentos daqueles que imaginam, de boa fé, que tudo seja passageiro, esse amontoado de ladrões descobertos pela Polícia Federal. 

Está certo que é uma minoria que rouba desbragadamente, mas essa minoria tomou conta do poder e, impressionante, manobra com a chamada massa ignara, aquela desprovida de conhecimentos e que se deixa ser levada da forma mais dócil poss&iacute ;vel, como o elefante ensinado conduzido por um simples cordão puxado pelo seu tratador que, para ensiná-lo, aplicou seguidas ferroadas...

Dia 10 de maio de 2016, várias cidades do Brasil, inclusive no Estado do Espírito Santo amanheceram sitiadas por uma corja vestida de camisas vermelhas, protestando contra o andamento do processo de impeachment de Dilma Rousseff.

Pelo amor não sei mais de quem, essa corja está destruindo o Brasil, sua economia, seus princípios básicos de liberdade, de direito, de cidadania. Precisou a interferência do Supremo Tribunal Federal, a nossa Suprema Corte, para tirar o deputado Eduardo Cunha da presidência da Câmara, onde cometia as mais incríveis diabruras para não perder o cargo, por corrupção, a mais extravagante.

Esse cerco às cidades brasileiras por gente de camisa vermelha, portando bandeiras vermelhas, da CUT e do PT, ateavam fogo a montanhas de pneus, com o objetivo de impedir o tráfego, a passagem de pedestres, infernizando a vida das pessoas, como se donas fossem do país.

O mais estranho nessa história toda de tomada de assalto as cidades por gente desqualificada sem a mínima ação da polícia, qualquer ato de prevenção para resguardar os direitos de ir e vir da sociedade, chega a ser deprimente, intolerável. Que tipo de governo, de sistema político temos?

As coisas mais importantes da nacionalidade brasileira caminham para os desvãos da anarquia, da esculhambação. Como um pingo de gente desaforada, sem um mínimo de educação desafia o sistema de Segurança Pública, promove barricadas e a polícia não faz absolutamente nada?

Impedir que a sociedade caminhe, passe, trafegue livremente, é crime. Passível de cadeia, trata-se de um esbulho aos mínimos princípios do direito.

Num país onde esbanjam Lulas, Cunhas, Dilmas, Dirceus, Genoinos, esse tipo de gente, pode ir pra frente?

As cidades, das maiores as menores estão se transformando em redutos de viciados, de gente perigosa que está desgraçando com o país, sem que se tome uma providência.

Será que é isso mesmo que nós queremos? Onde está nossa revolta?

Uchôa de Mendonça
é jornalista

COMENTAR

COPYRIGHT© 2007-2014 Don Oleari Ponto Com - Todos os direitos reservados - aldeia verbal produções e jornalismo - CNPJ: 15.265.070/0001-49