Uchôa de Mendonça: Bandidos à solta

18 de junho de 2016

NOTA – Você vai ler um comentário independente, sem enganos, sem mentiras. Se Você entender que não deva prosseguir com sua leitura, delete-o. Nunca suporte o que não gosta. Se não ler, vai perder a oportunidade de conhecer a verdade.


Um policial com exercício na cidade de Guarapari outro dia me segredou, a respeito da liberação de bandidos que acabara de prender, sob a bronca do delegado: 

- “Merda, já não disse para não prender mais ninguém! Você não está vendo que a cadeia não suporta mais preso? Deixa essa porra dessa cidade explodir!

Em plena luz do dia, bandidos entraram num escritório no Centro de Guarapari e, sob mira de revólveres tomaram todo dinheiro que encontraram, pertences de empregados, computadores, atulhando um veículo com os produtos roubados.

Gravados pelas câmeras, com que pouco ou nada se importaram, foram presos quatro horas mais tarde devido a placa do veículo, que era de um dos bandidos. Foi um negócio espetacular, que fez com que o empresário vibrasse com a notícia. A alegria durou pouco. Mais tarde fora informado de que o Delegado de plantão soltara os bandidos, sob o argumento de que não foram presos em flagrante- por trás, o argumento de que as prisões estão atulhadas de bandidos. Não há vagas... Os pertences da vitima foram apanhados na casa de um dos bandidos.

Outro dia aconteceu no Rio de Janeiro um estupro coletivo, onde uma menina se diz seviciada por três dezenas de jovens, num atestado eminentemente hediondo. Criou-se uma onda nacional com protestos de mulheres “inocentemente” vestidas com resumidos shorts, como se tivessem também convidando ao estupro. Coisas do Brasil...

No assalto ao escritório do empresário de Guarapari, no estupro coletivo do interior carioca ou nas dezenas de assaltos e mortes que são realizados diariamente, as câmeras estão registrando tudo e os bandidos não vão presos. Todas essas coisas só servem apenas para shows de TV, numa demonstração espalhafatosa de que, quem faz escândalo realmente com os fatos é a imprensa e tudo morre por aí mesmo...

Voltando o filme, atrás. Tem uns 15 dias que um bandido fez explodir um carro forte numa cidade de São Paulo, utilizando uma bazuca de três metros de comprimento por 90 mm de espessura, coisa para explodir tanque de aço, blindado, despedaçando os guardas no interior do carro forte e explodindo o cofre de aço no interior do carro, fazendo uma fortuna em dinheiro voar pelos ares.

Nem uma noticia de 10 linhas na nossa famosa imprensa. 

Nenhum noticiário, a não ser nas redes sociais, mostrando a tragédia num retrato de corpo inteiro do país que proibiu a sociedade adquirir armas, para sua defesa e até permite, através do contrabando, que bandidos adquiram armas de guerra, como uma bazuca, capaz de explodir tanque blindado.

É o país dos absurdos.

Uchôa de Mendonça
é jornalista

COMENTAR

COPYRIGHT© 2007-2014 Don Oleari Ponto Com - Todos os direitos reservados - aldeia verbal produções e jornalismo - CNPJ: 15.265.070/0001-49