Uchôa de Mendonça: Eterna decadência

28 de junho de 2016
NOTA – Você vai ler um comentário independente, sem enganos, sem mentiras. Se Você entender que não deva prosseguir com sua leitura, delete-o. Nunca suporte o que não gosta. Se não ler, vai perder a oportunidade de conhecer a verdade.



Qualquer pessoa responsável, com os pés fincados no chão sabe que não vivemos num país sério.

Quem de fora examina o noticiário da Operação Lava-Jato deve imaginar que está assistindo um filme de ficção, de ladrões assaltando o país, estados, municípios, empresas públicas as mais diversas e, alem do mais, com uma mania de mudar o sistema de governabilidade, introduzir o sistema comunista no Brasil.

Outro dia saiu na imprensa capixaba, com mais destaque, mas ganhou repercussão nacional, o fechamento do museu Mello Leitão, de Santa Teresa. O motivo do encerramento de suas atividades era inadimplência dos governos Federal e estadual em conceder auxílio, pagamento das verbas públicas que o órgão tem direito.

Este é um retrato da situação brasileira. Os museus, os centros culturais, os teatros, todos estão passando por um estágio de penúria sem fim, exatamente porque os governantes gastam tudo que arrecadam com brincadeiras e deixam importantes empreendimentos sem término, sem funcionamento, porque a moda que move o mundo, o dinheiro, foi gasto de forma irresponsável, com um empreguismo desenfreado, ou as empresas públicas foram assaltadas e estão passando por graves momentos.

O Estado, a sociedade, precisam de museus, de teatros, de centros culturais, que fazem parte do processo educacional da sociedade.

Não conheço o processo de administração do Museu Mello Leitão. Me parece que o mesmo tem mais empregados do que deveria ter realmente, consumindo as verbas que já são pequenas.

O Brasil vive uma página bem suja da nossa história, exatamente porque as pessoas perderam a responsabilidade, tratam dos seus problemas e esquecem as obrigações do Estado. Casos como o do Museu Mello Leitão existem vários pelo país, passando sérias dificuldades. 

Seria preciso macerar-se uma fundação, negócio sério, para gerir tais instrumentos importantes. As verbas, doações, recursos arrecadados diversos, não podem ficar à mercê de aventureiros. Não é possível. Nada dá certo no Brasil, porque roubaram tudo, gerenci am mal e porcamente.

Dá pena, faz vergonha, um patrimônio como o Museu Mello Leitão chegar ao estágio de decadência em que se encontra.



Uchôa de Mendonça
é jornalista

COMENTAR

COPYRIGHT© 2007-2014 Don Oleari Ponto Com - Todos os direitos reservados - aldeia verbal produções e jornalismo - CNPJ: 15.265.070/0001-49