Uchôa de Mendonça: Xô Dilma

13 de setembro de 2016
NOTA– Você vai ler um comentário independente, sem enganos, sem mentiras. Se Você entender que não deva prosseguir com sua leitura, delete-o. Nunca suporte o que não gosta. Se não ler, vai perder a oportunidade de conhecer a verdade.




As fotos desmentem a mentirosa

Não existe na história, em qualquer época, perante aos mais diversos povos, a repetição de um fato que tenha sido idêntico a um anterior, embora com personagens diferentes.

O Senado Federal, há 20 anos cassou o mandato do hoje senador Fernando Collor de Mello. Falou-se mil coisas sobre o defenestrado do poder mas, na verdade, para alcançá-lo pelo rabo apresentaram um carro “Elba” que teria recebido de presente de empreiteiros.

Nós, brasileiros (não votei em Collor e muito menos em Dilma) cometemos a burrice de elegermos Collor e Dilma e, de lambuja, Lula, depois que esse disfarçado de líder sindical destruiu as industrias localizadas no ABC Paulista, com as impertinentes greves que montou ali com seus disparates sindicais, que empobreceram a nação até agora...

Collor, com o ódio do PT instalado contra sua pessoa, teve saída fulminante do governo, com um impeachment sumário, sem maiores delongas.

O impedimento de D. Dilma da presidência da república, não sei porque, teve um ritual todo cheio de prosopopeias, consideração com uma pessoa que jamais deveria ter sido eleita para tão importante função, já que ela e os seguidores do Lula queriam implantar no país uma tal de ditadura do proletariado, uma aberração comunista e, interessante, eles arrotam uma tal de democracia que eles odeiam, devido ao espírito de liberdade.

Na conjuntura política em que vive o Brasil, desde 1930, com Getúlio Vargas, um dos governantes mais inconsequentes que o país teve em toda sua história e, seguida mais recente com Lula e Dilma, nem daqui a 200 anos o Brasil se recuperará do golpe de subdesenvolvimento que lhe foi infligido por esses bandos de assaltantes de cofres públicos.

Por menos, o Senado tirou os direitos políticos do senhor Collor de Mello por oito anos e, de dona Dilma, tiraram-lhe o cargo, mas permitiram que conservasse os direitos políticos.

Por que esse tratamento desigual, absurdo? Todos dois presidentes – Collor e Dilma – tiveram seus mandatos presidenciais cassados. Por que um difere do outro em tratamento? Por que Collor teve sues direitos pol&i acute;ticos suspensos e Dilma, não?

No curso da história que vem aí, pelo que imagino, dona Dilma não será candidata a nada, coisa alguma, porque vamos nos lembrar que ela foi a única responsável pela tragédia econômica que o país suporta estoicamente mas que nos deixa um saldo amargo de 12 milhões de desempregados, nas mais diversas categorias.

Inteiramente despreparada para a função. Empurrada por Lula como uma espécie de poste vestido de mulher, sensibilizou as massas burras como uma “guerrilheira” que queria a democracia. é muita cara de pau...

Pelo que é verdade, dona Dilma foi afastada da presidência da República e, tomara, gente como ela nunca mais volte, para o bem de todos nós.

Uchôa de Mendonça
é jornalista

COMENTAR

COPYRIGHT© 2007-2014 Don Oleari Ponto Com - Todos os direitos reservados - aldeia verbal produções e jornalismo - CNPJ: 15.265.070/0001-49