Orlando Eller: A carne é fraca

22 de março de 2017
O cronista narra uma experiência pessoal com um "produtor de linguiça" caseiro. E vejam só a composição da linguiça. Um grande surpresa!


Essa história da Carne Fraca me relembrou um conto em que jamais pude acreditar; e, por isso, de pronto, dele me esqueci, imaginando ser fantasia de quem é pobre.

Um antigo peão que ia e vinha comigo quase todos os dias no ônibus a caminho do serviço revelou-me como complementava a receita do mês fazendo e às vezes defumando linguiça em casa para vender na feira nas manhãs de domingo.

─ Fazer e vender linguiça dá dinheiro?
─ Um pouco, mas ajuda muito.
─ Pensei que comprasse para revender...
─ Não, eu mesmo que faço, em casa.
─ Como?
─ Compro aquelas aparas, o que sobra quando o açougueiro limpa a carne para vender. Aí, se não tiver o bastante, pego carne de segunda, aquela bem barata que ninguém quer, nem o açougue.
─ Sim, daí você manda moer tudo: e leva para casa e...
─ Não, nada disso. Vou moer em casa, tenho uma máquina esperta que não me dá trabalho.
─ Você moi, bota tempero completo e enfia na tripa, isso?

─ Depois de moído, meto tempero forte, sal, pimenta do reino preta e mais algumas ervas, tudo para deixar saudade em quem come. Aí eu enfio na tripa e penduro na vara, na minha garagem. Às vezes defumo, mas os vizinhos andam reclamando da fumaça.
─ Tirando a carne, a tripa, o tempero e o trabalho de fazer e de vender, quanto você tira limpo, de lucro?
─ Ah, uns trinta por cento...
─ Isso tudo? Então a freguesia deve estar reclamando do seu preço.
─ Reclama nada, é uma freguesia cativa, como a do Flamengo.
─ Qual o segredo?
─ Olhe, não tem segredo. Na hora de moer, eu misturo uns vinte a trinta por cento de embalagem de ovos, sabe, aquela de papelão?
─ Ninguém percebe a mistura?
─ Percebe nada. Bem misturado e bem temperado, não sobra nada. E garanto a você que não fez e nem faz mal a ninguém. Se fizesse, algum já tinha morrido. Ah, aceito encomendas!





Orlando Eller
jornalista
20/3/2017

COMENTAR

Andra Valladares

Então essa história já é antiga... rs A linguiça tem que ter papelão, senão não é linguiça.

COPYRIGHT© 2007-2014 Don Oleari Ponto Com - Todos os direitos reservados - aldeia verbal produções e jornalismo - CNPJ: 15.265.070/0001-49